Desafio Intermodal 2019

No dia 17 de setembro, durante o já conhecido como o Mês da Mobilidade – por ter o dia 22/09 como o Dia Mundial Sem Carro – a Ciclovida organizou mais um Desafio Intermodal em Fortaleza. Esta foi a sétima vez que a Ciclovida organizou o Desafio Intermodal. A atividade tem sempre o mesmo percurso, e é o sétimo ano consecutivo que o Desafio aconteceu em Fortaleza (desde 2013).

O Desafio consiste em percorrer um trajeto de aproximadamente 8 km, saindo da praça da Imprensa no horário de pico, e chegando na praça Jonas Gomes de Freitas (atrás do North Shopping), em diferentes modos de transporte. Nesta edição, tivemos 12 participantes, que utilizaram os 10 modos a seguir:

  • Bicicleta rápida;
  • Bicicleta urbana;
  • Pedestre correndo;
  • Pedestre caminhando;
  • Ônibus;
  • Táxi;
  • Uber;
  • Carro;
  • Moto;
  • Mototáxi.

Os participantes podem escolher o caminho que acharem melhor, e tem que respeitar todas as leis de trânsito referente a seu modo. Ao final, os modos são avaliados em 3 critérios, todos com o mesmo peso: tempo, custos, e emissões de poluentes. Cada um dos critérios recebe uma nota parametrizada de 0 a 10, sendo 0 o modo que teve o pior desempenho, e 10 o melhor desempenho para aquele critério. O percurso feito por cada um pode ser visto neste vídeo (ferramenta Strava Flyby).

No vídeo dá pra notar a enorme espera da pessoa que pegou o Uber (especialmente se comparado a quem pegou táxi e mototáxi, que tem pontos na própria praça), e uma espera curta de quem pegou ônibus. Nota-se também a rota muito maior feita por quem estava de carro, pois decidiu seguir a rota do aplicativo Waze, que sempre desvia do caminho principal por vias alternativas, tentando pegar menos trânsito (o que no final não adianta muito, aparentemente).

Algumas análises sobre o resultado final:

  • Mais uma vez tivemos as bicicletas à frente na classificação mostrando sua elevada eficiência, com baixo custo, nenhuma emissão de poluentes, e ótimos tempos de deslocamento.
  • O pedestre correndo ficou logo depois, em terceiro, chegando mais rápido do que o ônibus e quase no mesmo tempo do carro, mas sem gastar nada nem emitir nenhum poluente.
  • A moto ficou em quarto principalmente pelo bom tempo de deslocamento. O ônibus foi o quinto, com uma leve melhora em relação ao ano anterior (quando foi sexto), e o pedestre caminhando em sexto, a frente dos demais modos motorizados. O mototáxi ficou em sétimo, pois apesar do bom tempo de deslocamento, tem ainda um alto custo para o percurso.
  • E em últimos lugares, como sempre, devido ao alto custo, alto índice de emissões, e tempos de deslocamento não tão eficientes, ficaram os automóveis – Uber, carro e táxi. Abaixo, cada modo com suas médias respectivamente.
Infográfico com ranking de melhor desempenho. Design por Daniel Neves

A tabela com o resultado completo pode ser conferida nesta planilha.

Se quiser entender um pouco mais sobre os parâmetros e a metodologia envolvida, pode acessar o relatório, ou entre em contato com a gente.

As velocidades médias de cada modo são mostradas na tabela a seguir.

Agradecemos muito a todas e todos que participaram desse desafio. Nosso agradecimento a Ana Karla Moura, Andrea Bezz, Carlos Sawaki, Caroline Rodrigues, Eraldo Sá, Felipe Alves, Gevard Lima, Márcia Alves, Maykol Camurça, Pedro Lopes, Vannuccy Neves e Victor Alves.

Para ver detalhes sobre os desafios dos anos anteriores, basta acessar ciclovida.org.br/desafio-intermodal.